O Instituto Cidades é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, de cunho urbanístico, cuja existência se tornou necessária a partir da constatação da violenta degeneração urbanística e estética que as cidades brasileiras vivenciam. Esta degeneração urbanística tem sido fruto, não somente da favelização de parte da população, mas, sobretudo, da falta de legislações aceitáveis sobre o que, como e onde construir. O resultado é a reprodução pelas cidades de uma estética lamentável que vem eliminando de uma só vez, o prazer de morar e viver, a auto-estima, a cidadania, o valor das construções, os valores humanos, culturais e históricos e ainda a oportunidade que muitas destas comunidades teriam de ganhar dinheiro com a visitação e o turismo.

É missão do Instituto Cidades alertar para esta degeneração silenciosa da qualidade de vida a partir da degeneração urbanística e estética, e implementar ações que demonstrem que cidades e comunidades bonitas têm destino muito diferente daquele das cidades e comunidades feias. Intervenções que transmutem realidades desagradáveis visualmente em novas realidades esteticamente atraentes, imediatamente impelirão as comunidades a se beneficiar financeiramente dessas mudanças, a partir de uma movimentação de visitas e turismo que elas passam a ter condições de atrair e sustentar, fazendo surgir toda uma teia de trabalho e geração de renda.  

Leia mais >>>


O que Reestilização?

Reestilizar é dar estilo novamente.
Leia mais >>>

O mais surpreendente entretanto, é como é relativamente simples fazer isto. Sem derrubar ou construir parede alguma, quase sempre se revela possível fazer uma transformação de grande efeito estético, que beneficia em primeiro lugar o morador, que passa a morar em uma casa de mais valia e da qual ele agora se orgulha, e em segundo lugar toda a comunidade, que passa a causar um novo tipo de reação em quem a vê.

O que o Instituto Cidades
pode fazer?  

Reestilização de Casas, Ruas, Áreas, Bairros ou Comunidades inteiras, Preparação de Áreas, Ruas, Caminhos, Circuitos e Comunidades com vistas a seu aproveitamento turístico, Programas de Geração de Renda a partir de novas realidades estéticas e urbanísticas, Elaboração de Planos Diretores para Cidades, Comunidades ou Áreas específicas, Elaboração de propostas de Leis de Uso e Ocupação de Solo, de Postura e de Códigos de Obras, Projetos de implantação de Assentamentos, de Comunidades ou de Realocações.


TERMINAM AS PRIMEIRAS INTERVENÇÕES

Com recursos liberados pelo Conselho Estadual de Direitos Difusos de Minas Gerais, o Instituto Cidades colocou em prática suas propostas em 3 pequenas comunidades, todas nas proximidades de Diamantina.



Neste mês de Agosto 2013, terminaram as intervenções de re-estilização nas comunidades de Barão de Guaicuy, Três Barras e Vau, sob a coordenação do Instituto Cidades.. Os recursos vieram de projetos aprovados em 2009, mas que só puderam se iniciar em Janeiro 2012. Estas são as primeiras comunidades no Brasil a se beneficiarem de intervenções no padrão, profundidade e metodologia preconizados pelo Instituto CIdades. Pela transformação da estética das casas, transformou-se a aparência das comunidades, que por conta disto, contam com moradores mais orgulhos, mais confiantes e que sabem que seu futuro mudou para melhor, junto com o futuro das comunidades.

Veja alguns exemplos abaixo:


O RÉPTIL GOSTA DE PICASSO (por André Tenuta)

Qual será a neurologia da estética humana? Um conjunto surpreendente de lendas e de mal entendidos foi tudo o que sempre existiu como "explicação" para o funcionamento do cérebro humano quando submetido a qualquer estimulo estético, de qualquer que seja sua natureza ou o seu tema. Achar feio ou achar bonito sempre foi considerado o território mais particular da individualidade, porém neste artigo surpreendente somos confrontados com a proposta de que, muitíssimo ao contrário, achar bonito ou achar feio está mais para uma resposta involuntária do cérebro, sobre a qual não temos controle algum, e que, por consequência nos torna mais iguais do que imaginamos.

xx

Baixe o PDF do texto completo do artigo


Um Fôlego para o Planeta   Cultura e Arquitetura
 
 
O princípio da Parcimônia   O Velho e o Novo
 
 

O Instituto Cidade moveu Ação Civil Pública contra a Vale, a Usiminas e a Camargo Corrêa pela contribuição negativa destas empresas ao trânsito na rodovia BR381.
A leitura do corpo desta Ação é um instrutivo exemplo de como decisões empresariais podem ser levianamente tomadas sem a mínima consideração de suas implicações ambientais e sociais.

Baixe o PDF do texto da ação
xx

 
PCH' s e suas Compensações (video)
De como acabar com as cachoeiras do Brasil, ganhar dinheiro, engambelar as comunidades e não pagar nada por isso.
 
 
 
 
© Todos os direitos reservados Instituto Cidades